Marcadores

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Todos ao cinema....

Fomos assistir o filme "Uma onda no ar" junto com os jovens da casa dos meninos. O filme baseado em fatos reais conta a trajetória da Rádio Favela, e dos jovens que tinham o ideal de levar os problemas da favela para além da favela, levar a voz dos morros para o asfalto e a partir dessas escolhas de combater o racismo e tornar público as dificuldades enfrentadas pelos moradores da favela, coloram a vida em risco e pagaram um preço alto por reinvidicar direitos. O retorno foi caloroso muito debate, muita discussão, levantamos algumas questões como:
quais eram os objetivos do grupo? quais problemas denunciavam? quem apoiava essas idéias? quem era os apoiadores principais dessa causa? quem financiava? entre outras questões pertinentes na analise de ações coletivas com apoio da comunidade.

Rap que a turma criou

Moro num país de resistência
onde cada um sofre as consequências
cada um, cada um
cada qual, cada qual,
você vai tentar mudar
ou vai deixar tudo igual?

Negro drama nesse país não tem vez
toda corrupção foi os policiais que fez
mas também tem os políticos
que rouba e quem manda prender?

De quebrada em quebrada
vem ai a união
e nois preto vem rimando
como forma de expressão

Muleke de 10 anos já começa a traficar
as menininhas aos 12 já começa e engravidar

Mas não paro de bobeira nesse loko mundão
não vacilo vou pra frente sempre prestando atenção
tem maluco que vacila usa droga que bobão
prefiro ter a paz e Deus no meu coração.



Esse filme teve uma repercussão grande no grupo, principalmente pela proximidade com a realidade que vivemos, identificaram muitos problemas parecidos e o fato de serem jovens conscientes da realidade e com idéias que foram além do que todos imaginavam, e principalmente em perceber qeu é possível organizar a comunidade e brigar por direitos.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Diálogos sobre projetos...

Nos últimos encontros estamos priorizando algumas atividade e discussões com foco em projetos. A idéia é ir ampliando o repertório da turma sobre o que é esse tal de projeto que será implementado a partir de agosto... o que é? como? pra quem? e por ai vai...

Pra iniciar essas discussões fizemos algumas explorações no Centro Cultural Banco do Brasil, mas expecificamente na exposição do Alexandre Orion "Ossário" e no Memorial da América Latina como o intuito de analizar a as idéias expressas nesses lugares, quais são os objetivos, qual função social, sobre o que falam, a quem querem atingir entre outros focos.

O resultado foi muito debate, dúvidas e curiosadades sobre essas intervenções que acontecem na cidade, e o que está por trás dos bastidores dessas idéias..

A turma achou incrível a determinação do Alexandre Orion em driblar a perseguição policial todos os dias para expressar sua arte, a determinação de suas críticas, uma das frases que o grupo traz é "o único jeito de acabar com a minha arte, e limpando a sujeira". O link para saber mais sobre a exposição é: www.alexandreorion.com/ossario/



No memorial foi uma verdadeira viagem aos nossos antepassados, a turma foi super receptiva as informações, as histórias e aos mitos da América Látina. Estavam super curiosos, e no retorno algumas questões que causaram o debate foram: a ocultação da nossa história que não é lá muito valorizada, a diversidade cultural presente na cultura brasileira e na cultura da América Látina, as vestimentas, a religiosidade, entre outras questões, como a criação de um espaço com o intuito de valorizar e resgatar histórias que muitas vezes a sociedade desconhece como por exemplo a ditadura militar, já que o monumento que representa uma mão com o mapa da América Latina em vermelha, simboliza o sangue a luta dos que doaram sua vida pela liberdade democracia entre outros. Mais informações nesse link: www.memorial.sp.gov.br/memorial/index.jsp



encontramos o Toninho do Pânico na TV, por alguns momentos ele tirou o foco da exploração, mas depois das fotos a turma acalmou-se...



As histórias Mexicanas de festejar a morte causou muita curiosidade na turma já que na nossa cultura a morte é vista, com temor, dor, saudade entre outros,,,,

terça-feira, 30 de março de 2010

Que Trabalho Temos ?

Ainda em relalçao ao "Mundo do Trabalho" , realizamos as atividades eguintes com a intenção de ampliar o conhecimento das profissões existentes, assim como ensaiar escolhas profissionais possíveis. E para isso, pedimos para os que os jovens escrevessem em uma folha as profissões que eles queriam ser quando eles eram crianças, e do outro lado da folha todas a profissões que eles conhecem. Em uma outra folha 5 profissões que el@s mais se identificam, assinalando is pontos positivos e negativos de cada uma delas. Procuramos ressaltar quais habilidades e caminhos seriam necessários para chegar nas profissões escolhidas (quanto tempo de estudo, quais cursos, onde estudar, etc.). Muitas coisas saíram desde jogador de futebol a motorista de caminhão. E pedimos para pensarem se mudaram de opinião ou não em relação à infância e porquê.
Em subgrupos fizemos explorações ao Centro de Apoio ao Trabalhador – CAT, onde @s jovens tiveram a oportunidade de participarem de palestras sobre como as empresas contratam jovens, como deve-se comportar em uma entrevista de trabalho, como elaborar um currículo e na ultima parte da palestra, @s jovens fizerem um cadastro no balcão de emprego. De poucos jovens que foram até o CAT, até que esses cadastros surtiram efeito, três jovens conseguiram entrevista e dois foram chamados para trabalhar, em shoping como vendedores, mas foi uma primeira oportunidade que deu certo. Sendo que uma das jovens é mãe e separada do marido e ela estava precisando muito de uma oportunidade de trabalho na vida dela, e o melhor é não precisará deixar o programa.


Profissões do Futuro

Para brincar com a imaginação e ambição d@s jovens entregamos para cada um del@s uma profissão diferente de acordo com uma reportagem da revista Você & A sobre as profissões do futuro, com salários altíssimos o menor era cerca de R$ 12.000,00. Logo em seguida pedimos para apresentarem duplas em forma de tele jornal as profissões que cada um tinha em mãos, ficaram impressionados com cada profissão mas também notaram que é necessário muito, mais muito estudo e dedicação para alcançarem, como el@s disseram uma boa colocação no mercado de trabalho.

Apresentação das profissões do futuro...

Mundo do Trabalho?

Nas próximas semanas iremos focar nossos encontros no território do “Mundo do trabalho”: Iniciamos com as seguintes perguntas norteadoras: Mundo do Trabalho? Que trabalho temos? Que trabalho queremos?.
Começamos nossas atividades procurando saber as habilidades e dificuldades que @s jovens possuem a partir do olhar d@ outr@ e também nas habilidades que el@s mesmos sabem que possui.
E para nos ajudar nessa reflexão realizamos a seguinte atividade: colamos uma folha de sulfite em brando nas costas de cada jovem, logo após pedimos para ele escreverem nas costas uns dos outros sobre as habilidades que ele enxergam que cada membro do grupo possui. O resultado foi muito bom, pois muitos ficaram surpresos com as habilidades que apareceram, alguns nem haviam pensado nas possibilidades que apareceram.

Também fizemos a seguinte atividade utilizamos colchonetes e pedimos para @s jovens deitarem (um momento de relaxamento) e se imaginarem de como estaria a vida del@s daqui a 10 anos, se teriam estudado, qual faculdade, que tipo de trabalho, ou emprego teriam, que bens adquiriam, o que conseguiram conquistar nesse período, pessoalmente e profissionalmente... E logo depois fizeram um desenho sobre o que imaginaram, saíram trabalhos muito interessantes, bastante ambiciosos e boas perspectivas...

E para nos ajudar nessa reflexão sobre “Trabalho” e “responsabilidade” assistimos no CEU Lajeado o filme! Grande Menina, Pequena Mulher, (indicado pel@s jovens)

Sinopse
Em Grande Menina, Pequena Mulher, Molly Gunn (BRITTANY MURPHY) é super popular no cenário social de Nova York. Ela é a exuberante filha de um falecido e lendário astro do rock e está no topo da lista VIP da cidade: os estilistas querem desenhar suas roupas, os rapazes querem sair com ela e sua festa de aniversário tem os convites disputados. Sua vida é uma festa o tempo todo.

Porém, quando sua herança é roubada pelo contador, tudo isso acaba e Molly é forçada, pela primeira vez, a arrumar um emprego.

Ajudada pela melhor amiga Ingrid (MARLEY SHELTON) e pelo caçador de talentos Huey (DONALD FAISON), Molly arruma em emprego como babá da filha de uma poderosa executiva da música, Roma Schleine (HEATHER LOCKLEAR). A criança é Ray Schleine (DAKOTA FANNING), uma menina precoce e ansiosa de 8 anos "quase chegando aos 40", obcecada por germes e com mania de perfeição. Distante emocionalmente da mãe, Ray foi criada por babás, sem qualquer estabilidade. Por isso tenta controlar tudo que pode.

Molly nunca precisou ter responsabilidade, enquanto Ray carrega o peso do mundo. Uma vai ensinar à outra como se comportar de acordo com a própria idade.


Também no Ceu Lajeado pedimos para os jovens ensinarem algo que sabiam fazer para um outr@ jovem do programa, foi muito legal, pois até linguagem de sinal apareceu, dança, música, receitas culinária...
Veja a seguir algumas fotos desses encontros....


Mundo do Trabalho

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Refexões e produções: Juventude e Cidade

Realizamos uma exploração no Parque Ibirapuera com as turmas manhã e tarde com o intuito de ampliar a discussão sobre circulação, espaços de cultura e diversidade, a turma estava ansiosa pra conhecer o Parque, um lugar que é tão comentado na cidade. A exploração foi marcada por momentos de diversão (metro, trêm, ónibus) Susto (a chuva do fim da tarde) emoções (exploração no museu afro brasil) decepções (tudo tem que pagar, e é tudo muito caro) medo (o cobrador tomou um susto com a quantidade de jovens que entraram no ónibus e ameaçou parar o ónibus para decermos) e o fortalecimento da convivência entre manhã e tarde.

Enfim conseguimos chegar bem, com mais uma experiencia vivida na cidade. No retorno a ong após algumas reflexões sobre o acesso, limites de circulação, prazer, medo, entre outros a turma fez um levantamento do que tem representado, que sentido tem as explorações, algumas impressões foram: cidade espaço de conhecimento e aprendizado mas ainda há muuito preconceito contra os jovens; É preciso conhecer para criticar; Juventude diferente; aprendemos a respeitar a cidade, mas ainda somos desrespeitados; conhecer, se divertir pois, sempre tem uma novidade, cada vez que vamos para um lugar vemos de um jeito diferente; muito preconceito com os jovens, não sei se é por sermos jovens, ou ser é por sermos habitantes da cidade. Qual a finalidade desse preconceito??

Veja fotos da exploração... click na foto.
Ibirapuera


Fotos de algumas produções...





sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

Encontro Público

Depois de tantos ensaios, estresses, risadas, erros e acertos enfim o grande dia chegou...
Estavam todos lá, menos o narrador, (aí meu Deusuuuu) e agora??? o grupo tirou de letra, improvisaram mudaram os pápeis, um retrato fiel do trabalho em grupo, do companheirismo, da cumplicidade e da amizade que está presente nesse grupo.

Trechos dos registros do jovem Leandro

"...uh-Hu dia da apresentação pra não sair da rotina da vida desses jovens, tudo deu errado, o narrador sumiu (ganho pouco mas me divirto) estava todo mundo mostrando o quanto somos fortes (ninguem chora mais que a gente) estavam todos dispostos (a ir ao medico) todos mostrando que somos bons (em materia de desespero) arrumamos uma solução de última hora, iriamos improvisar estavamos calmos (igual pipa no meio do furacão) erguemos a cabeça (batemos ela na parede) e nessa hora o Marcelo (narrador &%$#@) chegou estava ótimo; subimos no palco confiantes (que ia das errado) mas para variar (mentira isso sempre acontece) fomos a melhor apresentação..."

Fotos do encontro público... acessem...
Encontro Público

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Ensaios para o encontro público...

Mobilização geral... fala galera os jovens urbanos da AVIB manhã optaram pela produção de uma peça teatral para o encontro público que acontece nessa terça dia 09/02 no CEU Lajeado, claro que depois de muito debate entre vídeo, música, slides, enfim o teatro levou a maioria dos votos. Iniciamos os procedimentos na semana passada, definimos roteiristas, atores e atrizes, contra regra, responsáveis por iluminação e som, foi um trabalho coletivo, divertido a turma curtiu horrores, enfim uma verdadeira lição de coletividade, claro que tem os altos e baixos porém o grupo superou com muita vontade.. o tema definido abrange escola, drogas, gravidez, entre outros, os ensaios aconteceram no CEU Lajeado confiram algumas fotos e um pequeno vídeo...




video

Acessem o albúm...
Encontro Público


Olá!!!

Nós da turma da tarde estavamos com o debate da diversidade a flor da pele foi com o insentivo dessa semana que decidimos apresentar uns dos trabalhos produzidos em relação a este tem que foi a música "Cada um tem seu estilo" a letra ficou ótima com a ajuda de uma base de rap e com todos os jovens canatando ficou melhor ainda, também contamos com a parceria do Ceu Lajeado e ensaiamos lá também, veja a nossa letra e comente!!!

Cada um tem seu estilo

Pare pra pensar, o mundo ta girando
Pessoas vão nascendo, culturas se formando
E nessa sintonia quem sou eu para julgar?
O que ele vai ser, que roupa vai usar
Não tem como saber, isso é questão de estilo
Cada um tem sua história, cada um tem sua tribo
Vivendo e aprendendo, andando na cidade
Nós vamos conhecendo varias personalidades


Tocando o pandeiro, vem o PAGODEIRO
Descendo a esquina com seu amigo FUNKEIRO
Com fone no ouvido curtindo um HIP HOP
Dançando um rebolation e cantando um ROCK


Tem aquele que criticam, o que não tão nem vendo
Se o cara ta chorando, já chamam ele de EMO
Entrou pra faculdade, é ta tirando de NERD
Se raspa a cabeça o cara vira SKINHEAD
Preconceito e opressão, infelizmente existem
Mas também tem aqueles, aqueles que insitem
Vestem a camisa e caem de cara no mundo
E honra sua tribo independente de tudo


Tocando o pandeiro, vem o PAGODEIRO
Descendo a esquina com seu amigo FUNKEIRO
Com fone no ouvido curtindo um HIP HOP
Dançando um rebolation e cantando um ROCK


Seja inteligente, não faça errado
Respeite primeiro pra depois ser respeitado
FUNK, ROCK, AXÉ, tanto faz
Aos olhos de Deus todos nós somos iguais


Tocando o pandeiro, vem o PAGODEIRO
Descendo a esquina com seu amigo FUNKEIRO
Com fone no ouvido curtindo um HIP HOP
Dançando um rebolation e cantando um ROCK


Autor: Kelvin Luan de Brito
Interpretes: PJU AVIB - Turma da Tarde

Veja algumas fotos dos ensaios para o grande dia:

Preparação para o encontro público

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Exploração as Galerias do Rock, Idependente e Olido

Fomos fazer no dia 21/01/ 2010 uma exploração nas galerias do Rock, Independente e Olido, para adensar ainda mais nossas discussões sobre juventude, diversidade, igualdade e diferenças...
Foi muito bacana pois @s jovens observaram mais uma diversidade de “estilos”, “gostos”, “tribos”, e as pessoas se assumindo do jeito que são...
E nos deparamos também com um memória do Circo na Galeria Olido, e alg@ns jovens disseram que nunca tinham ido assistir a um espetáculo no circo... foi muito legal. Essa vai nos render uma ótima produção....

Veja algumas fotos desse dia...

Galeria do Rock



Na volta da exploração....

Fizemos uma “Roda Viva” para identificar as “Tribos” que @s jovens conhecem, que encontraram nas galerias, as existem em guaianases e qual a que eles pertencem. E se eles possuem alguma antiparia por alguma tribo? Se as tribos tem acesso “Cidade”.
Foi incrível essa roda, pois pode-se identificar as diferenças existente no grupo e chegaram a conclusão de que independente de qualquer grupo que pertençam é necessário que uns respeitem uns aos outros. Depois da Roda Viva divididos em subgrupos fizeram algumas produções sobre “As Tribus”: Um grupo desenvolveu um Debate sobre preconceito; outro promoveu um desfile sobre as tribos que eles conhecem, um outro desenvolveu uma cartografia sobre os “Maconheiros”; Cartografia sobre o preconceito, e uma letra de uma musica sobre “os estilos” que você vai curtir na próxima postagem...

Veja agora os parte dos textos produzidos por el@s...

“O Preconceito”

“Existem dois tipos de preconceitos: o pessoal e o Visual:
O pessoal é aquele em que a própria pessoa tem preconceito com si mesma, por ela pensar que ninguém gosta dela. Por ela ser diferente ou se alto intitular diferente.
E o visual é aquele em que a pessoa nem se quer conhece a pessoa e por a pessoa ser diferente agem com elas com total indiferença é isso que para a sociedade, é dado como preconceito. Uma total falta de respeito ao próximo!”


Maconheiros

Este grupo assim denominado como maconheiros, são diferentes, na maioria dos aspectos, como sexo(podem ser homens ou mulheres) a classe social que se pode ser alta ou baixa. Mas o que faz estes iguais é a apreciarem uma mesma coisa chamada de maconha...

"VOCES JULGAM MEUS OLHOS VERMELHOS, MAS ELES FORAM CAUSADOS PELO VERDE DA NATUREZA" (Boby Marley)

Veja também alguma fotos desse dia:

Encontro Desigualdades, Desigualdades e diferenças

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Retornando...

Salve salve turma... depois de alguns dias de recesso, a alegria do retorno, as espectativas para mais um ano de experiências, trocas e convivência grupal estamos aqui!!!
vamo que vamo esse ano promete...
a turma voltou no maior gás, muitas expectativas muita energia, curiosidades, iniciamos fazendo algumas provocações sobre direito a cidade, as relações que estamos desenvolvendo quanto jovens. Formamos alguns grupos de pesquisa como: Cidade e juventude o que tem a ver, Pesquisa sobre temas e filmes para o planejamento e jovens de Guaianases.
Surgiram muitas idéias... algumas já colocamos em prática, como explorar a galeria do Rock, Olido, Independente... com o objetivo de discutir as tribos juvenis, espaços de diversidade na cidade, democracia e respeito entre grupos assim como a intolerância que resulta em violência e mortes entre jovens.

Alguns resultados dessas discussões: Zine, textos, cartografias, vídeos, rap entre outros...

Veja fotos do Zine...






Texto produzido por um dos grupos
Jovens e a cidade
O Programa jovens urbanos tem uma função enorme neste bairro. Com ele jovens estão tendo uma visão de bairro e cidade como um só corpo, descobrimos que fazemos parte sim dessa cidade de São Paulo, mesmo sendo um bairro (Guainaases) pobre temos expectativas de que temos um futuro melhor, pois com a ajuda do programa descobrimos que no nosso bairro existe cultura, estudo e até mesmo trabalho. Temos o dever de cuidar e mudar o que é nosso podemos mudar o nosso bairro e assim mudar um pouco a nossa cidade.
Nesse pouco tempo do programa jovens urbanos avaliamos nossos conceitos, atitudes e o que oferecemos ao bairro e o que ele oferece para nós? Temos muitos talentos que estão sendo descobertos entre nós, descobrimos que juntos podemos fazer a diferença, que somos capazes de mudar o nosso futuro. O PJU marcou –nos para sempre pois levaremos amizades, histórias, trabalhos, aprendizados, conhecimentos de tudo o que tem aqui para toda a vida, pois o programa não mudou os jovens apenas mostrou o que ele são por dentro capazes de atingir a lua se acreditar.
Jovens Urbanos 5ª Edição